O Porquê de algumas vacas se tornar "repetideiras" ou "repeat breeder"

A vaca com várias coberturas, sem problema diagnosticável, é chamada de “repetideira” ou “repeat breeder”. A vaca “repeat breeder” é geralmente definida como qualquer vaca que não concebe após 4 ou mais serviços associados a estros verdadeiros. Em rebanhos com fertilidade normal, com taxas de concepção entre 45 a 55%, aproximadamente 9 a 12% das vacas acabam sendo classificadas como “repeat breeder”. Com a redução da taxa de concepção do rebanho, o número de vacas que precisam de mais coberturas para ficarem gestantes aumenta, portanto mais vacas passam a ser classificadas como “repeat breeder”.
 Como qualquer outro problema reprodutivo, a chave para identificar ou confirmar o problema das vacas “repeat breeder”, é a manutenção de um bom sistema de anotações. Com as anotações de detecção de cio e inseminações é possível calcular a porcentagem de vacas “repeat breeder” no rebanho. Em geral, se mais de 15% das vacas do rebanho precisam de mais de 4 coberturas, a porcentagem de vacas “repeat breeder” deve ser considerada um problema.
Quando a fazenda usa um manejo reprodutivo intenso, com protocolos de inseminação artificial em tempo fixo e diagnóstico precoce de gestação, as vacas com muitas coberturas nem sempre devem ser consideradas como problemas, pois o objetivo desse programa é fazer a vaca ficar gestante o mais cedo possível após o período voluntário de espera, com aumento da taxa de serviço. A vaca é inseminada mais vezes para que tenha mais chances de ficar gestante.
Quando a porcentagem de vacas “repeat breeder” é identificada como um problema, as causas devem ser apuradas. Infelizmente isso não é fácil de ser feito, pois muitos fatores podem contribuir nas falhas de concepção e/ou de manutenção da gestação. As causas podem ser problemas do rebanho ou da vaca. O mais comum é que a causa do aumento de vacas “repeat breeder” seja um problema do rebanho.
 Detecção de cio inadequada que resulta em:
.Momento de inseminação inadequada
.Vacas são inseminadas quando não estão em cio
.Sêmen e técnica de inseminação:
.Qualidade de sêmen inadequada
.Número de espermatozóides insuficiente
.Inseminador mal treinado
Problemas individuais da vaca podem levar ao aumento da taxa de vacas “repeat breeder”, mas são menos comuns e nem sempre o fator principal. Porém, alguns problemas que são considerados individuais, como as metrites e endometrites, são na verdade problemas do rebanho, que podem ocorrer devido a problemas de manejo no peri-parto.
Outros problemas individuais podem estar relacionados a:
– Alterações endócrinas, como a ocorrência de cistos ovarianos e as falhas de ovulação.
– Defeitos anatômicos, como obstrução das tubas uterina (sequela de metrites puerperais agudas), na maioria das vezes não diagnosticáveis por palpação retal, nem por exame de ultrassom.
– Mortalidade embrionária.
Quando um grupo de vacas “repeat breeder” sem nenhum defeito anatômico é coberto, aproximadamente 25% ficam gestantes com um único serviço. Em aproximadamente 15% dessas vacas, apresentam falha de ovulação. Ocorre falha de fertilização em 25 a 35% das vacas e a mortalidade embrionária ocorre nas outras 25 a 35% das vacas. A maioria das vacas “repeat breeder” não são estéreis, elas apresentam baixa fertilidade.
Para definir o problema e chegar numa solução, uma análise de todo o programa reprodutivo da fazenda deve ser feito, com o envolvimento de toda a equipe: inseminador, veterinário, proprietário, e outros técnicos envolvidos no manejo da fazenda. Algumas vezes a causa do aumento de vacas “repeat breeder” não é aparente, e só torna evidente depois do trabalho conjunto da equipe, discutindo e analisando todos os pontos do programa reprodutivo.
Uma boa notícia é que na maioria das vezes a causa mais frequente da ocorrência de “repeat breeder” é a falha de detecção de cio. Quando a detecção de cio é falha, vacas são inseminadas em momento inadequado, resultando em baixa concepção. Em rebanhos que usam touros e apresentam alta porcentagem de vacas “repeat breeder”, o touro deve ser examinado, pois o mesmo pode ser a causa do problema.
O tratamento das vacas “repeat breeder” vai depender da causa ou das causas. Por exemplo, se o problema for falha de detecção de cio, um bom programa de detecção com ferramenta auxiliares deve ser implantado (Radar de 18/10/2006 = Dez prioridades de um programa de observação de cio bem sucedido). Se o problema for a ocorrência de metrite e endometrite, o peri-parto deve ser melhorado e as vacas diagnosticadas e tratadas (Radar de 17/08/2006 = Classificação das infecções uterinas das vacas leiteiras).

 

Nem sempre é fácil diagnosticar e analisar o resultado do tratamento das vacas “repeat breeder”, mas para isso todos os dados devem ser constantemente monitorados e analisados, para que o problema não seja diagnosticado quando já está numa proporção muito grande.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s