TECNICAS PARA MANEJO DE BEZERROS LEITEIROS. 3 DE 5.

Principais cuidados na cria de Bezerras

Uma boa criação de bezerras, sem dúvida, é o primeiro passo para o sucesso na exploração leiteira. Como nessa atividade a fêmea responde por grande parte da produção, a perfeita criação das bezerras assume importância fundamental, pois a evolução genética e reprodutiva do rebanho depende da rápida substituição de fêmeas mais velhas por animais mais jovens e de potencial produtivo mais elevado.

Um dos fatores que afetam a renda do produtor é o custo elevado da criação de bezerras, devido principalmente à alimentação, instalação e a alta taxa de mortalidade, esta última não deve ser superior a 5%. Para que se consiga uma redução significativa na mortalidade de bezerras é necessária uma série de procedimentos, como adoção de práticas corretas de manejo, higiene e alimentação, que permitirão uma redução no custo de criação desses animais.

As metas que devem ser buscadas na criação destes animais são: a obtenção de bezerras sadias, redução da mortalidade e diminuição dos custos. Para alcançar tais metas, os cuidados com as bezerras devem começar mesmo antes do seu nascimento. Problemas como deficiências pré-natais de vários nutrientes afetam o desempenho e a saúde das bezerras. Essas deficiências se apresentam sob a forma de partos distócicos (difíceis), menor produção de colostro e leite, aumento de mortalidade embrionária e fetal, nascimento de bezerras deformadas, pequenas e fracas. Bezerras fracas são mais susceptíveis a doenças respiratórias (pneumonias) e diarréias. Para evitar a ocorrência destes problemas, devemos nos atentar para alimentação das vacas no pré-parto (período importante para o desenvolvimento normal do feto) e também podemos optar pela vacinação das vacas no pré-parto contra pneumonia e diarréia dos bezerros, esta vacina gera anticorpos que são passados para as bezerras via colostro.

As vacas devem apresentar um bom score de condição corporal ao parto, isto é, não devem parir nem gordas, nem magras. Na escala de score de condição corporal que vai de 1 a 5, estas vacas devem apresentar ao parto um score entre 3,5 a 3,75.

Outro cuidado imprescindível na criação de bezerras leiteiras é a ingestão do colostro. A bezerra deverá mamar a maior quantidade possível, em geral este consumo é de 1,5 a 2,5 litros, variando de acordo com a raça. A ingestão do colostro deve ser o mais cedo possível, o ideal é que seja nas primeiras seis horas pós-parto, pois após este período a absorção dos anticorpos (elemento importante para a proteção do bezerro contra doenças) presentes no colostro diminui, quando por volta de 24 a 32 horas após o parto esta absorção se encerra.

O corte e o curativo do cordão umbilical é outra medida que deve ser realizada logo após o parto. Esta conduta evita a entrada de agentes causadores de doenças. A desinfecção do umbigo deve ser feita com tintura de iodo na concentração de 10% e deverá ser repetida diariamente até a completa cicatrização.

Depois de tomados todos estes cuidados, pode-se optar pelo aleitamento natural (ao pé da vaca) ou o aleitamento artificial (com baldes ou mamadeiras). Em qualquer destas alternativas de aleitamento deve-se acompanhar o desenvolvimento das bezerras. O ideal é que se realize pesagens periódicas, para avaliar o ganho de peso médio e ponderal destes animais. Os sistemas de criação podem ser realizados em piquetes ou bezerreiros coletivos, um expemplo é o bezerreiro contínuo, também chamado de modelo argentino (foto abaixo).

 

É importante também avaliar a sanidade dos animais, quando for observada a ocorrência de diarréias ou pneumonias, estes devem ser examinados e tratados a critério de um Médico Veterinário. Os refugos devem ser descartados, devido ao seu menor desempenho produtivo.

Quando todas estas práticas são religiosamente cumpridas pelo produtor, conseqüentemente haverá uma redução na ocorrência de doenças, no gasto com medicamentos e por sua vez na taxa de mortalidade dos bezerros. Todos estes fatores contribuem para o aumento dos lucros do produtor rural.

 

 

2 comentários sobre “TECNICAS PARA MANEJO DE BEZERROS LEITEIROS. 3 DE 5.

  1. Tudo certo muito correto mas. Eu desenvolvi um manejo que depois da ingestão do colostro eu desmamo as bezeras com 40 dias jÁ ruminando com segurança e mortalidade zero gostaria de contar com vocês para eu divugar Onde termina o manejo parindo ais 22 meses obrigando

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s