Morte embrionária em bovinos: quais as principais causas?

As causas das perdas embrionárias nos bovinos são variadas. Embora quando ocorram, geralmente se suspeite de algum agente infeccioso, as causas deste tipo correspondem a cerca de 25 a 30% do total de mortes embrionárias. Podem-se dividir as causas de mortes embrionárias em 3 grandes grupos: as causas ambientais, as infecciosas e as relacionadas a fatores endocrinológicos ou genéticos.

De uma forma generalizada as variáveis ambientais são as principais causas de perda embrionária em bovinos. A temperatura ambiente pode prejudicar a fertilidade dos bovinos de diferentes formas. Efeito nos gametas, no desenvolvimento embrionário e no ambiente uterino. Tem sido relatado que a principal ação deste fator ambiental sobre a fertilidade dos animais se dá sobre a viabilidade dos gametas e desenvolvimento embrionário. Temperaturas ambientais excessivas podem afetar diretamente o desenvolvimento e a viabilidade embrionária, e ainda atuar de forma indireta, modificando o microambiente uterino, necessário à manutenção da gestação.

Associado à temperatura ambiental, outra característica climática de extrema importância é a umidade relativa (UR). Uma elevada umidade relativa dificulta a dissipação de calor pelo animal, visto que os principais processos de perda de calor ocorrem através de evaporação de água, que ficam prejudicados quando a atmosfera já se encontra muito saturada. Assim o efeito de uma temperatura elevada é ainda mais deletério quando associado existe alta umidade relativa.

nutrição inadequada pode afetar e gestação de duas formas: pode causar morte fetal ou reduzir o desenvolvimento do concepto. Embora esta ultima característica não seja considerada perda reprodutiva, implica numa menor probabilidade de sobrevivência do recém-nascido.

As causas de morte embrionária em bovinos também podem estar relacionadas a problemas genéticos. Existem algumas situações definidas nesta espécie como a Translocação Cromossômica 1-29, que pode levar a alteração de fertilidade e perda do embrião durante o desenvolvimento uterino. O percentual de perdas devido a esta variável não é fácil de ser calculado, mas estimado como baixo. Este percentual pode se elevar quando se utiliza na reprodução animais sabidamente com alguma alteração genética ou quanto se cruza indivíduos de uma mesma família (parentes próximos), favorecendo a consanguinidade.

Dos fatores endócrinos, a taxa de progesterona durante o início da gestação, é a causa frequentemente citada pelos pesquisadores como decisiva na manutenção da mesma. A atividade funcional do corpo lúteo é essencial para instalação e manutenção da gestação. Esta manutenção da gestação depende, dentre outros fatores do bloqueio da secreção de prostaglandina F2 (PGF2) que é sintetizada pelas células epiteliais do endométrio. Esta substância vai provocar a regressão do corpo lúteo e queda na síntese de progesterona pelo mesmo. Para que a PGF2 não seja secretada deve haver um sinal químico emitido no período certo pelo embrião, que bloqueie a síntese e/ou liberação do fator luteolítico.

As causas relacionadas a aspectos sanitários, segundo vários estudos, geralmente representam menos de 30% dos casos de perdas de gestação em bovinos, nas diferentes fases. As doenças que causam morte embrionária ou fetal em bovinos podem ser divididas em problemas clínicos e doenças infecto-contagiosas. Entre os problemas clínicos, qualquer doença sistêmica pode potencialmente provocar perda da gestação. Isto pode ocorrer por ação direta do agente no útero ou indiretamente, pela hipertermia materna ou pela produção de toxinas que possam atingir o embrião ou feto. As infecções uterinas também são causas de morte embrionária, neste caso geralmente no início do desenvolvimento do embrião, quando este chega ao útero.

As principais causas infecciosas específicas de morte embrionária precoce em bovinos são a Rinotraquíte Infecciosa Bovina (IBR), a Diarreia Viral Bovina (BVD), a Tricomoníase e a Campilobacteriose. As outras infecções como Leptospiroses, Brucelose, Neosporoses e infecções fúngicas estão relacionadas a perdas em estágios mais tardios da gestação ou mesmo abortos.

Quer saber mais sobre as causas e medidas preventivas contra a morte embrionária? Participe do Curso Online Manejo Reprodutivo de Gado de Leite, que tem início no dia 13 de maio e já está com inscrições abertas.

O instrutor deste curso é o médico veterinário, mestre em fisiologia da reprodução, doutor em reprodução animal e pós-doutor em biotecnologia da reprodução, Carlos Antônio de Carvalho Fernandes, que é professor do setor de fisiologia e biotecnologia e coordenador do curso de Mestrado em Reprodução Animal da Universidade de Alfenas e diretor técnico da Biotran, empresa que atua em programas de reprodução em bovinos.

Um comentário sobre “Morte embrionária em bovinos: quais as principais causas?

  1. Sou um pequeno proprietário rural e pratico todas as companhas de vacinaçao obrigatoria nanual .
    No período de um ano perdi três bovinos justamente na semana do nascimento, mas percebi q todos os três estavam bem magros,mas bem formados.
    Já faz 11 anos q estou nesta atividade, mas antes nunca houve nenhum caso.
    Gostaria q vcs me orientasse a respeito, pois isto é um grande prejuízo e elas caem em depressão profunda por meses.
    Por favor me ajudem.
    Meu e. mail: paulo.ceccato@uol.com.br cel 19 9 9719 6796.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s